5 de maio de 2021

Thunder Fight promoveu 36 lutas de MMA no último domingo em São Paulo


Uma das principais promoções de MMA do Brasil, o Thunder Fight promoveu no último domingo ( 02 de Maio ), o seu 26º evento com 3 três lutas profissionais e 33 amadoras, em São Bernardo do Campo, no estado de São Paulo.

Os organizadores tomaram todos os cuidados diante do atual estado de calamidade que afeta o país e cumpriram todos os protocolos de segurança relacionados à pandemia do novo coronavírus. Também devido à crise sanitária o Thunder Fight 26 foi realizado sem público e com um “Staff” reduzido, o que não impediu o sucesso do evento.

O ‘main event’ ( ou “evento principal” ) da programação foi uma luta de MMA profissional entre Davi Bittencourt ( 3-2-0 ) e Marcos ‘Thailandes’ Degli ( 0-1-0 ), dois atletas extremamente talentosos e considerados promessas do MMA nacional. Ao término da luta, em que os dois lutadores se movimentaram bastante e alternaram posições no solo, Davi Bittencourt acabou vencendo por decisão dividida dos jurados. A mídia especializada está classificando este como um dos melhores duelos da temporada 2021 até agora.

Já no ‘co-main event’ ( ou “evento co-principal” ) vimos Nicolas Sávio ( 3-3-0 ) impôr o seu domínio para obter a vitória sobre Edjanio Silva ( 2-2-0 ) por decisão unânime dos jurados.

Na primeira luta profissional da noite, Adriano Brandão ( 2-1-0 ) conseguiu impor um impressionante nocaute sobre Denilson Batista ( 0-1-0 ) em menos de dois minutos de luta.

No MMA amador, alguns destaques foram Thiago Canhas, que conquistou mais uma vitória no Thunder Fight ao nocautear Antonio Marcos no terceiro round, e a sensação Thiago Caetano, que emplacou seu quinto triunfo na organização ao finalizar Jhonatas Marinas no segundo round.

De acordo com o presidente da companhia, Marcelo Kina, o Thunder Fight deve realizar mais oito eventos profissionais de MMA em 2021, além de 09 edições amadoras até o final do ano.
Já no próximo domingo ( 09 de Maio ), o “Thunder Strikers 2” será realizado na capital paulista.

Confira os resultados do “Thunder Fight 26” que incluem :

Thunder Fight 26
02 de Maio de 2021
São Bernardo do Campo-SP, Brasil

MMA PROFISSIONAL
Davi Bittencourt derrotou Marcos ‘Thailandes’ Degli por decisão dividida dos jurados
Nicolas Sávio derrotou Edjanio Silva por decisão unânime dos jurados
Adriano Brandão derrotou Denilson Batista por nocaute técnico no 1R

MMA AMADOR
Thiago Caetano derrotou Jhonatas Marinas por finalização no 2R
Thiago Canhas derrotou Antonio Marcos por nocaute técnico no 3R
Gabriel Hardt derrotou Vinicius Eduardo por decisão dividida dos jurados
Clarissa Nabes derrotou Iris Machado por desistência
Samuel Cassimiro derrotou Luiz Henrique Alves por finalização no 1R
Ana Santos derrotou Maria Julia por finalização no 1R
Davis Sales derrotou Erivelton Samurai por nocaute técnico no 1R
Heloise Moraes derrotou Priscila por decisão unânime dos jurados
Pablo Soares derrotou Marion Silva por decisão unânime dos jurados
Denis da Cruz derrotou Kevin Matheus por decisão dividida dos jurados
Daniel Romão derrotou Marcondes Fernandes por decisão unânime dos jurados
Geovani Palacious derrotou Bruno Silva por decisão unânime dos jurados
Matheus Lino derrotou Gustavo Gobbi por decisão unânime dos jurados
Leandro Douglas derrotou Matheus Castro por desistência
Isley Silva derrotou Lucas Alves por decisão unânime dos jurados
Aline Mendes derrotou Angélica Mendes por nocaute técnico (interrupção médica)
Lucas Augusto derrotou Alberto Ferreira por decisão unânime dos jurados
Luã Magalhães derrotou Romario Barbosa por decisão unânime dos jurados
Everton Vieira derrotou Jeferson Oliveira por finalização no 1R
Emerson Apache derrotou Mauricio Santos por finalização no 2R
Vinicius Senger derrotou Murilo Mateus por decisão unânime dos jurados
Rafael Costa derrotou Fabricio Viti por finalização no 1R
Anderson Costha derrotou Fabio Nascimento por nocaute técnico no 1R
Douglas Santos derrotou Luiz Neves por decisão unânime dos jurados
Leandro Pires derrotou Lucas Gabriel por decisão unânime dos jurados
Victor Vigilato derrotou Matheus Gonçalves por decisão unânime dos jurados
Ricardo Patena derrotou Luciano Ferreira por decisão unânime dos jurados
Rodrigo Almeida derrotou Clayton Ferreira por finalização no 1R
Moises Santos derrotou Luiz Felipe Gino por nocaute técnico no 2R
Micael Silva derrotou Samuel Câmera por finalização no 1R
Gabriel Leandro derrotou Rodrigo Lopes por decisão unânime dos jurados
Junior Pedroso derrotou Tiago Felipe por decisão unânime dos jurados
Antonio Jorge derrotou Romilton Melo por finalização no 2R

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 05/05/2021
_
Legenda : Evento foi realizado em São Bernardo do Campo, no estado de São Paulo.
Foto : ( Créditos | Cortesia : ( C )  Thunder Fight | ( C ) IstoÉ |  ( C ) Lance |  ( C ) UOL | Divulgação ).

4 de maio de 2021

MDB traz jovens talentos do Japão para intercâmbio e profissionalização no Brasil



O fundador do Mundo da Bola FC, Cristiano Yamanaka - um ex-jogador profissional de Futebol e Futsal - retornou ao Japão depois de viajar pelo Brasil para fortalecer laços e expandir parcerias.

Após disputar o campeonato japonês da “Football 7 Society League” ( F7SL ) em 2019, Cris - como presidente da agremiação - anunciou o encerramento das atividades do time ‘Society’.
O foco do trabalho agora é nas categorias de base na província de Aichi com o projeto Mundo da Bola para crianças, jovens e adultos ( 3-23 anos ), com treinos diários em Anjo e um projeto social gratuito em Hekinan, este último com aulas às segundas-feiras.

Fundada há mais de quatro anos a equipe é filiada à federação japonesa nas categorias sub-8 até sub-15, e disputa todas as competições das respectivas divisões. 

No dia 1º de novembro do ano passado, o MDB disputou o torneio “Mundo da Bola Cup Wactiva” com oito equipes, quatro no sub-8 e no sub-10, respectivamente, visando a integração entre a comunidade. O MDB conquistou o segundo lugar no sub-8 e sagrou-se campeão no sub-10.
Em 15 de novembro o MDB levou a taça novamente no sub-10 e acabou ficando com a terceira colocação sub-12.

Agora em 2021, Cris Yamanaka - que também cuida do agenciamento dos jogadores através da ‘Agency MDB Sport’ - já enviou atletas do MDB Japan para o Mundo da Bola FC Brasil, que disputarão o campeonato paulista, o maior campeonato do nosso país e uma vitrine muito boa no mercado.
São estes : Bruno, Ryan, Thales, Ryan, Musachi, Maicon, Iyan, Thales, Igor, Nathan, Kevin, Nathan, Bruno e Hideki ( foto ).

Os atletas desfrutarão de toda a estrutura do centro de treinamento, localizado em Araçatuba-SP, onde dormirão no alojamento e terão treinos diários logo cedo, melhorando seu potencial dentro e fora de campo.
Posteriormente será formado o elenco para o profissional, pois à partir de agora o Mundo da Bola FC também será um clube profissional no Brasil.

Assim sendo, Cris Yamanaka continuará oferecendo aos jovens praticantes de Futebol do Japão a oportunidade de fazer intercâmbio no Brasil e até assinar um contrato como profissional do clube. Ele também mantêm parcerias com muitos clubes de Futebol da Ásia e da Europa, além de outros clubes brasileiros.

Se você se enquadra nesse perfil, entre em contato com o Cris pelo número 08052935741 ( área do Japão ), ou ainda através da página do Facebook : Mundo Da Bola FC.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 04/05/2021
_
Legenda : Do Japão para o Brasil.  
Foto : ( Créditos | Cortesia : ( C )  Mundo Da Bola FC | ( C ) Agency MDB Sport |  ( C ) Cristiano Yamanaka | Divulgação ).


1 de maio de 2021

Olimpíadas de Tóquio podem trazer esperanças para pessoas de todo o mundo


O esporte sempre apresentou soluções para os problemas vivenciados pela humanidade e a realização das Olimpíadas este ano darão esperança às pessoas em todo o mundo, particularmente no que diz respeito à batalha contra o novo coronavírus.

Os Jogos Olímpicos haviam sido adiados em razão da pandemia da Covid-19 em 2020, mas foi remarcada para o período de 23 de julho a 8 de agosto de 2021.

Antes desse período - o início da pandemia - a Olimpíada foi vista no Japão como símbolo de recuperação para o país, um modo de superar uma histórica crise econômica, terremotos, tsunamis e o desastre nuclear de Fukushima, entre outros problemas. 

Há o fator econômico pressionando para a sua realização - foram gastos mais de 100 bilhões de dólares - e também pressão diplomática. Como a China sediará a Olimpíada de Inverno de Pequim, em 2022, os japoneses não querem conceder aos seus ‘adversários históricos’ o direito de celebrar o primeiro grande encontro esportivo internacional depois da pandemia. 

Os chineses, por sua vez, parecem imbuídos no “espírito” dos jogos. O Comitê Olímpico da China ofereceu doses de vacinas contra a Covid-19 aos participantes da Olimpíada de Tóquio.

Já aqui no Brasil foi decidido que todos os atletas que participarão das Olimpíadas e das Paralimpíadas de Tóquio serão vacinados, bem como os integrantes de comissões técnicas e colaboradores do Comitê Olímpico do Brasil. Este último reiterou, no entanto, que as vacinas não serão obrigatórias para os atletas que vão disputar as competições.

Outros países também colocaram os atletas no grupo prioritário para a vacinação contra a Covid-19, como Bélgica, Espanha, Nova Zelândia, Alemanha, México.

Mesmo que o presidente do COI, o alemão Thomas Bach, tenha sugerido - também - que a vacinação contra a COVID-19 não seja obrigatória para a participação dos atletas nas competições, a medida ainda deverá fazer parte do rígido protocolo sanitário para a realização dos jogos.

Entre estas medidas de segurança está a prometida “bolha”, em que atletas não poderão socializar fora da vila olímpica, sendo rastreados por um aplicativo de celular. 

Além disso, o comitê organizador deverá reservar um edifício inteiro de hotel localizado a alguns quilômetros de distância da vila dos atletas em Tóquio.
Os atletas com sintomas ‘brandos’ de Covid-19, ou assintomáticos, serão colocados em quarentena em quartos de hotel pelo período de dez dias. A iniciativa deve custar centenas de milhões de ienes para a organização, que já lida com o prejuízo de não ter público durante os jogos.
Os organizadores das Olimpíadas no Japão também planejam preparar até 30 veículos especiais para a transferência dos atletas com o novo coronavírus para as instalações designadas.

Como se já não bastasse, os atletas participantes terão que encarar uma quarentena de 12 dias assim que chegarem no Japão para só então disputarem os jogos.

Mesmo com todos esses cuidados, o conceituado jornal ‘The New York Times’ classificou a competição como uma “opção antidemocrática”, porque contraria a vontade popular: pesquisas recentes indicam que mais de 80% da população japonesa não quer a realização da competição. 
Já a pesquisa divulgada pela agência de notícias Kyodo no início de abril aponta que 35,3% pediram o cancelamento dos Jogos, enquanto 44% se disseram favoráveis a um novo adiamento. Ambas as opções foram rechaçadas pelos organizadores e pelo COI.

Por sua vez, alguns dos políticos do país tornaram públicas as razões pelas quais apoiam a realização dos jogos.

-“Há um século, os Jogos Olímpicos foram realizados em Antuérpia, na Bélgica, enquanto o mundo estava saindo de dois grandes eventos, em que milhões de pessoas morreram: a primeira guerra mundial e a gripe espanhola. Como o primeiro evento esportivo global a ser realizado após essas duas catástrofes, os Jogos de Antuérpia trouxeram esperança para muitas pessoas. Esperamos que as Olimpíadas de Tóquio enviem a mesma mensagem, restaurando a esperança das pessoas.”-afirmou governadora de Tóquio, Yuriko Koike, durante um pronunciamento no final do mês de abril.

A minha opinião pessoal é que os organizadores dos jogos poderão se beneficiar das experiências de muitos torneios internacionais que foram organizados recentemente. Como foram experiências de sucesso, acredito que estes poderão realizar os Jogos Olímpicos em um ambiente seguro.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 01/05/2021
_
Legenda : Olimpíadas devem renovar esperanças das pessoas.
Foto acima : ( Créditos | Cortesia : ( C )  Gaijin News | ( C ) COI | Divulgação ).

Legenda : Tokyo 2020 traz incertezas. No flagrante, uma mulher com máscara passa diante da ‘logo’ das Olimpíadas adiadas para este ano.
Foto abaixo : ( Créditos | Cortesia : ( C )  Eugene Hoshiko | ( C ) COI | Divulgação ).


29 de abril de 2021

Ralek Gracie lança novo evento inspirado nas regras do PRIDE e do Vale Tudo


Ralek Gracie é um faixa-preta de brazilian Jiu-Jítsu, filho do cofundador do UFC Rorion Gracie e sobrinho das lendas do MMA Royce & Rickson Gracie. Notavelmente, Ralek já derrotou a lenda do PRIDE e do MMA Kazushi Sakuraba no DREAM e também competiu no Bellator e no K-1 Hero’s.

Ele também foi co-fundador do Metamoris Pro Jiu Jitsu Invitational, que tinha seguidores apaixonados e agora - inspirado no espírito empreendedor da América - lançou uma nova promoção internacional de lutas para dar um  salto para o ‘mainstream’ e alcançar o sucesso mundial.

O novo evento se chamará Genzai Freestyle Fighting e utilizará um conjunto de regras inspiradas no antigo Vale Tudo, que serão chamadas de ‘Regras de Luta Freestyle’. Estas regras serão dedicadas à “Idade de Ouro” dos esportes de combate e lembrarão o conjunto de regras utilizadas nos primórdios do esporte no Brasil e também as regras do PRIDE Fighting Championship do Japão. Haverão “apenas algumas regras”.

Genzai terá um único round de 30 minutos, ao invés de vários rounds. O torneio inaugural será um GP absoluto, ou seja, um torneio eliminatório de 16 lutadores na categoria Openweight ( ‘peso livre’, ou “qualquer peso” ), uma reminiscência do Gracie Challenge do Rio de Janeiro e dos shows iniciais do UFC. Este formato permitirá que lutadores do peso mosca ao peso pesado compitam neste lendário Grand Prix.

Os organizadores prometem 4 eventos interconectados e um único campeão ( no caso do GP ).
Lembrando que lutas casadas da liga Genzai e ‘superfights’ poderão incluir divisões por categorias de peso.

O Genzai será realizado em países como China, Japão, Brasil e no mundo todo. 
Haverão quatro eventos acontecendo trimestralmente em 2022.

Já estão sendo selecionando lutadores de todo o planeta para o evento inaugural. Para se candidatar à uma vaga no Genzai alguns critérios básicos serão adotados.

-Competência de especialista em um estilo específico de artes marciais ou combinação de estilos.
-A capacidade comprovada de aplicar habilidades de luta de forma eficaz sob estresse.
-Vontade de competir contra atletas de qualquer categoria de peso.
-Um desejo profundo de se testar em um nível profissional.

Qualquer lutador poderá se inscrever. Basta preencher o formulário disponibilizado no site oficial da promoção. https://www.genzai.world/athletesearch

No entanto, a promoção resolver inovar, ao permitir que qualquer pessoa possa inscrever o seu lutador favorito, aquele que tenha realmente chances de se sair bem em uma competição nestes moldes.

Além disso, não custa lembrar que o processo de seleção será composto por muitas etapas de análise e nem todos os aplicativos receberão uma resposta.

É importante ressaltar - também - que o Genzai não será apenas uma competição de artes marciais mistas, mas também lançará uma revista semestral, além de “uma liga de luta estilo livre junto com muitas outras iniciativas do gênero da arte marcial”.

-“Genzai Freestyle Fighting é inspirado pela história viva das artes marciais e motivado para trazer reverência a todo o gênero. Um atleta em um evento Genzai precisará abordar seu treinamento com uma mentalidade, estratégia e um amplo conjunto de habilidades únicas. Nosso foco é encontrar os atletas de combate mais capazes do planeta”.-diz um representante da franquia, confirmando que já se iniciaram as buscas internacionais por uma nova raça de lutadores que terão a capacidade de competir na estrutura e regras únicas do Genzai.

Para acompanhar a busca de atletas e saber mais sobre o Genzai Freestyle Fighting visite:https://www.genzai.world/

***Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 29/04/2021
_
Legenda : O Genzai trará um GP absoluto de 16 lutadores.
Foto acima : ( Créditos | Cortesia : ( C )  Genzai Freestyle Fighting | ( C ) Ralek Gracie | Divulgação ).

Legenda : O Genzai Freestyle Fighting será realizado na China, Japão, Brasil e no mundo todo.
Foto abaixo : ( Créditos | Cortesia : ( C )  Genzai Freestyle Fighting | ( C ) Ralek Gracie | Divulgação ).


28 de abril de 2021

Pugilista de 19 anos morre durante o Campeonato Mundial de Boxe Juvenil


Nos últimos dias muito se falou em ‘violência’ e boxe, devido à morte do lutador no ‘evento-teste’, realizado na academia FQA Combat, em Teresina, capital do estado do Piauí.

Os inimigos do esporte estão se aproveitando da fatalidade para denigrir o pugilismo e até mesmo as federações que regulamentam a ‘nobre arte’ questionam a legalidade da luta realizada no último sábado ( 24 de abril ) durante a competição chamada “Desafio Combate - o Retorno”.

Houve até mesmo quem resolveu se pronunciar, questionando - e com razão - a qualidade do atendimento médico recebido pelo lutador Jonas de Andrade Carvalho, o “Guerreiro da Luz”.
Não posso esquecer - também - daqueles que insinuaram que a tragédia foi reflexo da “má organização” ( ? ), o que não posso julgar, pois não me  fiz presente à noitada de lutas.

Eu não vou aqui tecer comentários acerca da arbitragem das lutas daquele ‘card’, pois não tenho formação como “árbitro” de boxe, mas ainda posso manifestar a minha opinião sobre os demais aspectos que envolvem o esporte.

Ora, sabemos que o boxe é um esporte extremo, um esporte de contato, um esporte intenso, e - assim como acontece no MMA - ninguém é obrigado à lutar. Aqueles que sobem no ringue o fazem cientes dos riscos aos quais serão expostos. 

Longe de mim querer defender ou atacar alguém, mas acredito firmemente que quando “chegar a hora” do lutador partir para um outro ‘plano de existência’, não será a chancela de uma determinada entidade reguladora do desporto, nem o suporte de saúde fornecido pelos organizadores - ainda que indispensáveis - ou sequer a grandiosidade de uma promoção que irão mudar esse quadro.

Como exemplo, noticiarei a fatalidade ocorrida na mais recente competição realizada pela International Boxing Association ( AIBA ), o Campeonato Mundial de Boxe Juvenil, cujas disputas foram finalizadas na semana passada, em Kielce, na Polônia. 
Rashed Al-Swaisat, um jovem boxeador jordaniano de apenas 19 anos e que competia na categoria até 81kg naquele torneio, acabou morrendo uma semana após sofrer uma lesão cerebral.

Al-Swaisat sofreu a lesão no terceiro round da luta contra o estoniano Anton Winogradow, no dia 16 de abril. 
Vale destacar que o atleta teve todo o atendimento médico necessário durante a competição - que também disponibilizava todo o aparato para a saúde dos lutadores de um país de primeiro mundo - e quando foi levado a um hospital local, passando por uma cirurgia de emergência.

O Comitê Olímpico da Jordânia confirmou que a morte ocorreu na noite de segunda-feira e também lamentou a perda do atleta. A imprensa polonesa publicou que a polícia local investiga o caso para elucidar as circunstâncias da morte, mas que não há evidências até o momento de qualquer conduta criminosa. Todos os boxeadores da competição usavam um capacete que serviria para “proteger” a cabeça dos golpes mais contundentes, como bem pensam os leigos.

Para finalizar eu gostaria de reiterar que todos os lutadores, independentes das suas modalidades combativas, devem ter essa consciência ao escolher a sua profissão. As artes marciais e lutas de contato em geral são esportes onde você poderá ter lesões seríssimas e não se deve ver apenas o ‘glamour’ das grandes promoções.

Agora, eu faço a seguinte pergunta ... Se não houvesse ocorrido uma fatalidade dessas na competição citada no início desse artigo, será que a mesma teria tido a mesma repercussão na grande mídia e se tornaria um dos assuntos prediletos dos ditos “especialistas do teclado”?

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 28/04/2021
_
Legenda : O jovem lutador da Jordânia, Rashed Al-Swaisat, passou por cirurgia de emergência no dia 16 de abril, mas não resistiu.
Foto : ( Créditos | Cortesia : ( C )  AIBA _Boxing | ( C ) Comitê Olímpico da Jordânia | Divulgação ).