15 de janeiro de 2021

Saiba como andam os preparativos para os Jogos Olímpicos de Tóquio

 


O Comitê Olímpico Internacional ( COI ), o Japanese Olympic Committee ( JOC ) e o governo do Japão tentaram assegurar ao público do país nipônico que as Olimpíadas de Tóquio, previstas para ocorrer entre 23 de julho e 8 de agosto,  serão realizadas apesar das indefinições quanto aos riscos da pandemia de Covid-19.

Os pronunciamentos se dão após os Jogos Olímpicos - adiados pelo coronavírus - perderem mais apoio popular para a sua realização.

Duas pesquisas realizadas em julho mostraram que a maioria da população acha que o evento deveria ser adiado novamente ou cancelado, enquanto uma pesquisa divulgada em dezembro pela emissora nacional NHK revelou que apenas 27 % dos entrevistados apoiaram a realização dos Jogos em 2021.

E em uma pesquisa nacional realizada pela agência de notícias Kyodo News no domingo ( 10 de janeiro ), cerca de 35% das pessoas disseram que eram a favor do cancelamento total, enquanto cerca de 45% disseram que o evento deveria ser adiado uma segunda vez.

Apesar disso, os organizadores do Tóquio 2020 disseram que outro adiamento está fora de questão e insistem que os Jogos continuarão, apesar do estado de emergência declarado na área da grande Tóquio na semana passada devido ao aumento de casos de Covid-19. 

Eles deram alguns detalhes e disseram que os planos detalhados serão revelados na primavera. 

O que podemos afirmar é que - caso sejam mesmo realizados - os atletas podem esperar que estes jogos sejam muito diferentes dos anteriores devido à pandemia.

Yoshiro Mori, presidente do Comitê Organizador dos Jogos de Tóquio 2020, disse em uma palestra ‘online’ realizada pela mesma agência de notícias Kyodo News na terça-feira ( 12 ), que será preciso esperar até março para saber se os fãs, sejam estes torcedores locais ou vindos do exterior, serão permitidos.

Há ainda um dilema envolvendo a imunização dos atletas: o COI declarou que não será obrigatória a vacinação, mas os organizadores locais desejam que os países encaminhem os participantes já vacinados.

Já as isenções que permitem que atletas estrangeiros treinem no Japão antes dos Jogos Olímpicos estão suspensas até 7 de fevereiro, data programada para o fim do estado de emergência do coronavírus na capital, Tóquio, e outras cidades importantes.

Por sua vez, o primeiro-ministro do Japão Yoshihide Suga declarou na semana passada que o seu país está comprometido em realizar uma Olimpíada “segura”.

Os defensores de um novo adiamento das olimpíadas se apoiam no fato que os Jogos Olímpicos costumavam ser realizados com os Jogos de Inverno e Verão no mesmo ano. Posteriormente, estes foram divididos com os Jogos de Inverno e Verão de 2 em 2 anos. 

Se os Jogos de Tóquio forem adiados para 2022, os Jogos Olímpicos terão os Jogos de Inverno e Verão de volta no mesmo ano. Isso pode ser melhor no longo prazo, por necessidade.

Não custa lembrar que o Japão tem uma população de 126 milhões de habitantes.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 15/01/2021
_
Foto acima : Uma pesquisa de opinião revelou uma queda no apoio à realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio este ano. ( Créditos | Cortesia : ( C ) AFP | Divulgação ).

Abaixo : Região de restaurantes em Tóquio em 15 de janeiro de 2021. ( Créditos | Cortesia : ( C ) Kim Kyung-Hoon | ( C ) Reuters ).